Páginas

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Transformers: Uma Máquina Para Porcos | Capítulo 04

Lá não tinha saída nenhuma, a não ser...o outro lado da casa. É isso, vou ter que ir pra lá. Tive que atravessar quase toda a mansão só para chegar aí e uma porta. Já começa tudo a dar voltar...

-Estou indo ao mercado. Chorarei no caminho todo de casa. Nada terei, nada terei.

Mais essa é a...sala das máquinas...não lembro de como era macabra. Por que tem tanto sangue aqui? Alguém morreu, ou alguma mulher humana menstruou aqui e deixou tudo sujo? Piadas a parte, tenho que me recordar desse local. Não estou me lembrando de nada aqui.

Quando eu chego em uma parte do local, eu vejo um vulto. É o vulto de Arcee.

-Ele está vindo. Venha, Optimus por aqui.

Agora já sei...deve ser a tal máquina que aquele homem misterioso falou. Feche a água, algo assim e não me lembro mais de nada, só sei que...eu tenho que prosseguir onde Arcee estava. Outra máscara de porco. Eu não estou entendendo essas máscaras de porco.

Era mais uma passagem secreta, que dava para fora outra vez, só que desta vez no lado da frente. Mais uma máscara de porco estava lá, eu não entendo mesmo essas máscaras.

-Venha Optimus. Encontrei um ovo. Um ovo de pedra.

Arcee? Está vindo lá de baixo. Será que...eu não fui tudo isso para desistir agora. Não mesmo. Vou até lá embaixo pra ver o que tem. Mais o que acontece com esse lugar? Tudo está...DESMORONANDO....
...
...
...
Ai...o que aconteceu? Onde estou? Ai...me lembro que...nossa estava tudo desmoronando na sala ao lado e parece que eu vim parar aqui, em um lugar totalmente desconhecido. No meio deles, em um barril, eu encontro uma carta.

3 de Junho de 2009
Agora percebo meu medo pelos troncos impuros da doença que contraí ao desbravar os templos perdidos na floresta. É como se aqueles locais puros, tão livres da imundice da humanidade estivessem impressos na minha alma e a deixassem frágil para o que vejo aqui.

Medo é o que mentem todos nós onde devemos estar, e o medo da carne, a ruína da carne é o maior de todos os medos. Estou doente, estou arruinado, mais construirei máquinas para conter esta praga e curar todos nós.

Uma nova década se aproxima.

Abri uma das portas e ouvi a voz de minha Arcee.

-Venha seu molenga. É por aqui.

Quando vou até lá um telefone toca. Aquela voz no telefone...que se parece muito com a minha...me enganou. Fui enganado! Nunca mais vou poder achar a minha doce Arcee outra vez. Acabou. Estou encurralado. Vou atender o telefone e acabar logo com isso.

-O Tremor que você sente está sendo causado pelas nossas tentativas de tirar a água. Traição, Prime. Estávamos arruinados. A Sua mulher está presa por causa desse ato. Você deve encontra-la antes que seja tarde demais.
-O Que você quer que eu faça? Onde posso encontra-la?
-Sempre mais fundo, Prime. Passe pela sala de pistão e entre nos túneis. Depois encontre a sentina e elimine a água podre. Ajudarei no que puder, mas você precisa ser rápido, little friend.

Little Friend? Acho que não podemos ser amigos...ainda. Nossa, agora estou num tipo de "adega" e mais um daqueles tremores. O que houve? Eu ouvi o barulho de um cano caindo. Meu Primus...me ajude. Veja nessa sala, uma de minhas máquinas. Mais não tem um fuzil e isso não vai fazer ela funcionar. Vou ter que procurar um.

Entrei na sala e achei um fuzil e também uma roda e a girei. Ela parece dar em algum lugar lá embaixo, coloquei o fuzil e um portão se abriu. Nossa mas...tem umas máquinas tão feias aqui. De que ano elas são? Não me lembro disso não. Deixe me ver. "Máquinários de 1899" Putz, há quase 150 anos essa máquina existe? Para de drenar a água, isso tá me assustando.

-Pés e olhos enfaixados. Pequenos ossos no pomar. Carreguei o mundo nas costas com suas pernas me abraçando. Maldita seja essa alma. Só consigo criar máquinas.

Nossa mas...tinha uma escada lá e eu a subi. Liguei mais uma de minhas máquinas e deve ter abrido outra porta. Quando eu entrei, comecei a ouvir uns barulhos até que VEIO OUTRO TREMOR!!! PARA COM ISSO!!!

Quando eu subi para ver outra das máquinas, tinha mais um fuzil queimado então eu vou ter que voltar PRA LÁ, TREMOR!!! Vou ter que voltar pra sala onde achei...o que? Que barulho é esse? Eu ouvi alguém rangendo...meu Primus...de novo não!

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Transformers: Uma Máquina Para Porcos | Capítulo 03

Olha, nem sabia que dava pra sair, nossa, quanto tempo eu dormi? Puxa...mais não vou pra fora ainda, vou ver o resto da casa. Quando chego no salão principal eu começo a lembrar de gritos, desespero. Mais o que está acontecendo comigo?

Fui até a sala onde tinha alguns bichos empalhados. Eu gostava de colecionar essas coisas, e também tinha um quadro com um homem com cabeça de...porco? Tudo parece que está relacionado ao porco nessa atmosfera dominante. Veja só isso, na estátua do urso...parece que dá pra mexer ela...espere...eu me lembro agora. É uma passagem secreta...sabia, mais não me lembro o que tinha nesta sala.

Nossa, mais aqui...é a sala das máquinas...nossa, mas...nem me lembrava isso. Será que...não pode ser...a máquina dos meus sonhos? A tal "Máquina Negra"? Não pode ser...eu me lembro dessa sala, é a sala onde eu construí essa máquina mas...eu não sei...olhe, tem uma válvula aqui. Deve ser a válvula de energia.

Agora não tenho outra saída. Vou ter que sair lá fora e ver o que está acontecendo. Quando saí, parece que vi a sombra de Arcee e ela fechou uma das portas. Nossa, mas...que bizarro que isto está ficando. O Que está acontecendo aqui? Não tem nada aqui, eu vou voltar lá pra dentro.

Dentro de casa, fui em um dos banheiros que tinha, e lá tinha uma banheira. Um quadro aqui? Agora me lembrei, atrás do quadro tem uma alavanca, e a banheira era uma passagem secreta. Sabia. Mais o que é isso? Sangue...mas...nossa, o lugar está cheio de sangue. O que aconteceu aqui? Bom, passando por aqui, cheguei do outro lado da máquina e ativei algo.

Quando eu voltei, as luzes começaram a piscar e eu tinha visto um vulto passando por perto e alguns sons estranhos e atrás de mim, uma porta se abriu. Eu fiquei todo arrepiado. Não sentia isso desde a época do lago Tenebris. Eu entrei no quarto e ele estava cheio de sangue...

-Minhas mãos estão sangrando. Em metal vivo. Me canso de esfregar, mais o cheiro não sai. Como vou segurar minha linda Arcee com essas mãos? Como posso beijar os lábios dela assim?

Nossa mas...isso é estranho...muito estranho...enquanto olhava para as gavetas, eu achei uma carta.

Velha Sallie no Casebre

Ó, lá vem ela choramingando á noite até tua porta.
Com um belo avental que lhe cobre até os pés.
E Madeixas que lhe fazem jus e olhos azuis.
Com uma mão encoberta pela neve invernosa.
Como uma mão na nave invernosa.

E ela suplicará por maçãs na janela entreaberta.
O rosto escondido, mas com olhos ardentes.
E Apesar de você estar de tentado pelos belos seios.
Ela o pegará, agarrará e devorará seu coração.
Ela o pegará e devorará seu coração.
Então se comporte na véspera do ano novo.
Pois Sallie virá pedindo maçãs, meu caro.

E saiba que algumas portas, nunca devem se escancarar.
Ouça seu pai e fique seguro em casa.
Crianças rebeldes fazem tortas para Sallie.
E lhe aquecem as entranhas bestiais.

Nossa, que bizarro essa nota, mais eu me lembro dessa história da Sallie, era uma lenda que me contavam quando era pequeno, de uma mulher que pegava crianças malvadas e as transformavam em tortas de maçãs, tipo João e Maria, mais agora...vou ter que ser obrigado a seguir o sangue que está aqui, e em uma das estantes, acho mais uma carta.

20 de Dezembro de 2009
Estou para receber uma visita. O Famoso Professor A. Ele veio verificar o meu estado mental por causa do tempo prolongado que me ausentei do clube. Mais eu não sou bobo. Ele veio aqui espionar para eles. Quando estavam atrás do estripador, ele era sempre chamado para falar sobre as lacerações e os órgãos faltantes. Agora ele vem me ver, tirar o casaco e me bajular "meu caro" e "mas você ainda deve estar sofrendo" e "só uma olhada rápida nos seus motores, o triunfo da era." Ele não faz ideia do que é a perda, nada de sacrifício.

Mas recusar? Isso seria o mesmo que cutucar o vespeiro, seria um convite para os intrometidos e para os ladrões. Preciso entreter esse bufão e aceitar a intrusão dele. Talvez até mostre o tripadouro á ele. Quero ver o estômago dele, acostumado a fazer tantas jornadas ás vísceras de prostitutas toscamente vivissectadas, é forte o bastante para contemplar os verdadeiros motores desta era dourada. Pode até ser que apresente ao 'Jack e aos filhos dele', pelo menos. Agora temos mais trancas fortes nas janelas e trazemos brinquedos para eles.

Nossa mas isso, eu fiz tudo isso? Como eu era tão...mau. O Sangue termina aqui fora, mais nada de arrombamentos nem nada. Estranho...

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Transformers: Uma Máquina Para Porcos | Capítulo 02

Entrei no tal corredor e todas as portas dele estavam fechadas, a não ser uma a do escritório. Foi quando um telefone tocou. Lá dos escritório. Mais o que será isso?

-Alô?
-Precioso fruto do cacto da águia...por favor nos ajude!

Desligou. Quem era? Bom, andando e vasculhando o escritório, eu acho mais uma das cartas do meu diário.

7 de Novembro de 2008
O Banco está recusando o crédito, suíno ignorante. Sento-me sozinho a noite e choro, depois de Arcee e os criados pegarem no sono, quando já não podem mais me ouvir. Meu amor, como eu preciso de você agora. Eles disseram que acabei com minha fortuna, que o investimento nessas máquinas de últimas geração arruinou o nome da família. O que?Eu deveria continuar sendo o açougueiro local?

O Que são estes dois braços em comparação a multidão que pode ser usada, sem pagamento, sem descanso, adaptando os mecanismos nos teares e nos moinhos? Mas, se o banco bater o pé, não dará em nada. Se eles vierem pegar a casa, juro que eu os matarei. Matarei todos eles. Pegarei o meu rifle...o meu rifle...

O Meu rifle...me lembrei de uma passagem secreta que tinha aqui. Tinha que empurrar um  dos rifles que estão aqui, mais qual deles? O Primeiro, o segundo ou o terceiro? Acho que é o terceiro. Hum...veja só a porta se abriu, não me lembro dessa passagem mais sei que é importante então é melhor eu entrar.

Agora lembrei desse lugar...era como um espionamento pelos quadros. Veja...o que é isso na mesa de onde eu estava? Não tinha essa máscara de porco quando eu estava lá. Mais o que está acontecendo afinal? Quando cheguei em um lugar, eu fiquei estranho tinha fotos bizarras aqui. O Que está acontecendo?

-No nascer de um novo período, na era da razão. Um império enriqueceu demais, ficou no ponto para o abate.

Que voz foi essa? Que estranho...muito estranho...bizarro...enfim...então olha, tem uma alavanca aqui, só puxar e olha, o final dela. Mais portas fechadas e só uma aberta, então, não há outra escolha. Terei que entrar nela, então...vamos lá.

Entrei no outro andar e ouvi barulhos estranhos. Não gosto de nada disso, e perto de um abajour, mais uma carta.

Diário de Arcee, 3 de Outubro de 2009
Optimus disse que não era pra eu levar o Zetinha para brincar com os animais. Estávamos brincado com Cook, mas ele apareceu e gritou comigo. Cook disse que é por causa das armas mais ele sempre deixava a gente ver elas, então não deve ser isso. De qualquer forma, aquela sala é amaldiçoada. Se andar por lá á noite, dá para ouvir os fantasmas nas paredes atrás das estantes. Geralmente eles estão com raiva, ou é o que parece. Achamos que é por isso que dá para ouvir quando eles batem nas correntes, fecham a porta com força e coisas assim. Não gostamos de lá mesmo.

Pobre Arcee...acreditava que era um fantasma. Mais na verdade...era só a passagem secreta que tem por lá. Fui descendo as escadas e ouço outra vez a voz da minha linda Arcee.

-Por aqui, Optimus. Venha ver.

Fui até lá embaixo e tudo estremeceu e comecei a ouvir a voz de Arcee de novo, até chegar na sala de bilhar, onde tinha mais um gravador.

-Meu caro amigo, lamento dizer, mais você está péssimo. É, acho que peguei alguma coisa lá no lago Tenebris. Eu te entendo você sobreviveu e construiu um grande império. Você é incrível, você é demais. E Tudo isso...sozinho.

Enquanto eu andava, eu não sei sabe, parece que...estranho e quando eu entro em um corredor, eu me assusto com o telefone que estava tocando. Foi horrível, mais eu atendi.

-Optimus...você me conhece?
-Quem é você? Onde está a minha mulher?
-Presa, Prime. Muito abaixo de nós. A Máquina está obstruída, está violada, está imundada. Ela está presa. Se você me ajudar, posso liberta-la. Religue a energia, Prime. Drene a água e reinicie os motores grandes.
-Aonde devo ir? Olá...olá?

Eu...já não sei mais o que fazer...

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Transformers: Uma Máquina Para Porcos | Capítulo 01

"Aquele que faz de si próprio uma besta se livra da dor de ser humano!"

-Pai? Papai, por favor...não me machuque.
-Optimus, OPTIMUS!!!

Transformers: Uma Máquina Para Porcos.

Mas...o que aconteceu? Quanto tempo eu fiquei desligado? O que foi aquele barulho? Alguém me chamando...o que era aquela máquina?...eu...não sei o que está acontecendo comigo mas...é algo estranho, cabuloso, não. De novo não. De novo Grimmy e o lago Tenebris, de novo não...o que é isso? Uma carta?

21 de Junho de 2009
Nos meus sonhos, vejo um homem, vestido com peles de jaguar e emplumado como um santo veterano de guerra. O Que veio do coração nos ungí, exterminou o mal sobre seus pés e libertou a todos nós. O Calor fétido da floresta refletia em algum lugar na parte traseira de minha cabeça. Minha têmpora lateja, meu sangue ferve em meu crânio. Parece que há algo vivo dentro dele; um rato. Um maldito rato roendo meu cérebro, comendo as barreiras que o separam do resto do mundo. Nem o Láudano matará sua fome insaciável. Ouço Arcee e Ratchet no sótão, mais isso me enche de terror, não de amor. Que pensamentos desesperados são esses?

Me lembro desse sonho...era cabuloso, témulo. Não gostava quando Arcee e Ratchet ficavam no sótão. Eu tinha medo, pavor. O que eu posso fazer agora? Vou tentar sair e pegar um ar, agora que acordei, nem lembro quando foi a última vez que dormi. Enfim...

-Optimus? Optimus! Nos encontre!

O Que é isso? Arcee me chamando...depois que acordo nessa casa, nesse silêncio que a ronda, sem meus companheiros, todo esse silêncio que ronda...estou assustado, muito assustado, mais Arcee me chama e eu devo ir lá ver o que ela quer!

Quando eu entro em um dos banheiros da casa, me lembro, quando eu e Arcee tomávamos banho juntos, era só nos dois, na quietude do lugar, lá nós dois namorando...e no silêncio...no silêncio...como está agora...no silêncio...

Entro em uma das salas e me recordo de algumas coisas do que aconteceu...antes do coma.

-Segurei a mão dele, e vi...a poça de sangue nas suas pernas...você teve tempo de ver uns, mais não outros. Não se preocupe Arcee...ficará tudo bem.

Toda vez que vou em uma sala, acho uma cabeça de porco...mais...o que isso tem a ver com o que realmente quero? Quando eu subo em um dos andares...eu posso ouvir a voz de Arcee...mas...por que as luzes começam a piscar?

-Optimus, por aqui!

Quando eu subo as escadas, chego em um andar, um andar escuro e sombrio. E uma porta se abre, bem atrás de mim. Eu fico paralisado no começo, mais resolvi entrar. Quando entro eu ouço como se fosse um violino rasgando-se entre as notas, mais o que foi isso? Por que eu encontro máscaras de porcos aqui? Bom, aqui está o quarto de Arcee e me lembro bem, quando ela era criança, e claro, eu também, dormiamos no mesmo quarto, no sótão, mais...onde será que ela está agora?

Perto do meu escritório, tinha uma alavanca que eu puxei. Era o sótão. Fui devagar até lá.

-Optimus, um homem mal está vindo.

Quando olhei no nosso antigo quarto, eu juro que tinha visto um vulto. Quando eu achei a lanterna...o que??? Um vulto...de alguém correndo? Mas...quem correu? Arcee? Eu...estou vivendo as mesmas coisas de que quando eu estava lá no lago Tenebris, esperando por qualquer coisa.

Fui na direção que vi um vulto e encontrei uma caixa e um tipo de abertura. E Em cima, mais uma das máscaras de porco. Eu retirei a caixa e passei pelo buraco. Lá tinha um urso e alguns brinquedos e junto deles uma carta.

Diário de Arcee, 11 de Outubro de 2009
Optimus disse que não teria natal este ano, pois ele está muito ocupado. A Babá do nosso filho Zeta disse para eu não perturba-lo, pois ele está sempre muito ocupado. Ele vai trabalhar antes de me acordar e geralmente estou dormindo quando ele volta. Encontrei no jardim um passarinho com a asa quebrada e o levei para a babá de Zeta. Ela disse que ele era imundo e bateu nele com um rolo de massa. Depois disso, eu tive que demiti-la, não pude fazer outra coisa. O que ela fez foi muita covardia e Optimus, nem se importa mais comigo, não era como antes, nos tempos do Lago Tenebris...Enterrei o passarinho no andar de baixo enquanto todos estavam dormindo. Tinha um porco no jardim. Ele estava cheirando tudo. Foi quando Optimus acordou e disse para eu ir entrar. Parecia que ele estava bravo, mais eu vi que estava saíndo lágrimas de seus sensores óticos.

Passarinho...o que Arcee estava tramando? Eu...preciso saber. Aquela caixa, com a abertura, entrei nela e ouvi o doce som da voz da minha Arcee.

-Estou aqui, Optimus. Estou escondida.

Quando eu passava para ver onde Arcee estava, uma caixa caiu. Eu a empurrei até parar em uma vala e lá tinha mais máscaras de porco. Por que tem tanta máscara....espere! Arcee achou um porco no jardim. Será que isso tem a ver com essas máscaras? Não...claro que não.

Entrei em nosso antigo quarto, olha só...nossos berços, nossos brinquedos...eu ouvia barulhos estranhos...pareciam choros...será que é de nosso amado Zetinha? E por falar nisso, onde está Zeta Prime? Não o vi desde que acordei...bom, for fim das dúvidas, vou procurar os dois.

Entrei no nosso quarto, onde eu e Arcee dormimos. Do lado da nossa cama, está o berçinho do Zeta. Onde eles foram parar? Fui ver algumas gavetas e achei mais uma carta.

14 de Fevereiro de 2009
Sim, ele disse, conheço essas ruínas.

Ele era um rapaz maltrapilho, todo comido por uma doença fétida. Percebi que ele estava me olhando de forma estranha, como se quisesse muito saber como eu sabia sobre eles. Lutando contra a sensação de dar-lhe um golpe nos ouvidos, pelo atrevimento, simplesmente sorri e disse a ele que a minha biblioteca da minha família continha livros de viagens intrigantes. O Iliterato, parvo, obviamente não entendeu. De qualquer modo, ele concordou em nos guiar. 

Eu disse á Arcee que seria uma aventura extraordinária. Se as pedras antigas tivessem os benefícios financeiros que prevejo, serão as primeiras de muitas!

Quando eu comecei a descer as escadas que tinham lá, eu começava a ouvir a voz de Arcee e o choro de Zeta.

-Optimus...

Arcee, minha linda e doce Arcee...quando eu descia as escadas, eu ouvia um piano, tocava uma música doce e tranquila, mais ao mesmo tempo, sombria e inquieta. Quando eu andava, pela sala, achei um gravador. Parece que tem algo gravado nele.

-Você se importaria se eu gravar? Acho que é útil. Ah, então você tem um materville não é? Eles são maravilhosos. Não, claro que não. Eu mesmo que criei. Todos os outros também. Bom mais mudando de assunto, você sabe por que a Guarda de Elite me mandou aqui?

A Gravação acabou. Eu fui para o meio da sala e O QUE??? TERREMOTO??? MAIS O QUE ESTÁ ACONTECENDO???ENTRA DE BAIXO DO PIANO!!! Mais...o que foi isso? Bem...continuando, tem uma porta do lado direito e eu vou até ela. Não me recordo o que tem nela, e o relógio aqui da sala continuava a tocar então...eu vou avançar até o corredor.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

A Continuação de Transformers: Lago Tenebroso - Transformers: Uma Máquina Para Porcos

Vocês lembram da série "Transformers: Lago Tenebroso"? A Primeira série de terror de Transformers aqui no blog, então, viemos aqui, pois essa semana vai ser especial. A Partir de terça, vocês vão acompanhar a continuação dessa série "Transformers: Lago Tenebroso", que depois ficará sendo de Sábado e Domingo. Confiram a sinopse:

Sinopse/Preview: Depois do ocorrido no Lago Tenebris, Optimus pega uma febre muito forte, e acaba ficando em coma. Durante o coma, ele sempre sonhava com uma espécie de "Máquina Negra" que nunca parava até que um dia ele acorda com o barulho dela pulsando cada vez mais, parecendo um coração. Ele resolve investigar, e lá descobrem coisas terríveis sobre seu passado.
Classificação Etária: PG-15 (Não recomendado á menores de 14 anos)
Estreia: 18 de Fevereiro de 2014

Quem está curioso para saber essa continuação? Comente!!!

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Novo Quadro do Fim de Semana: Crônicas de Starspurple

Olá pessoal, como vão? Bem, eu vou indo, minhas aulas já começaram por isso pode haver alguns atrasos, mais prometo que tudo vai se estabelecer. Vamos começar com a estreia que vai ao ar todo fim de semana para que o blog não fique sem assunto, é o novo quadro Crônicas de Starspurple

A História se passa em Cybertron, 30 anos depois da "Grande Guerra", Starspurple, uma garota de 25 anos, casada com Starscream, diz sobre o seu dia-a-dia, com um toque de humor. Vão ser dois relatos por post, mais hoje, será só um para a estreia do quadro.

Os relatos são baseados nos videos de Nielson José, ou mais conhecido como Ni do Badoque, como fizemos com Diego Inóticos com o quadro Contos do Optimus Prime, iremos fazer com esse novo quadro, uma pequena homenagem para esse incrivel vlogger. E claro, créditos sempre.

Então, é isso e FUI!!!